A origem do futebol de salão remete ao Uruguai de 1930. Era uma época feliz graças à conquista da primeira Copa do Mundo da FIFA, e uma bola rolava em cada campo de Montevidéu. Juan Carlos Ceriani, um professor de educação física argentino que morava na cidade, notou que, por causa da falta de campos de futebol, as crianças praticavam o esporte em quadras de basquete. O conceito da nova modalidade estava diante de seus olhos...
Usando regras de pólo aquático, handebol e basquete, Ceriani deu forma às regras do jogo, que rapidamente se expandiu pela América do Sul. Em 1965, a Confederação Sul-Americana de Futebol de Salão foi fundada. Seus membros eram Uruguai, Paraguai, Peru, Argentina e Brasil, país onde o esporte era uma paixão.
O futebol de salão chegou à Europa graças aos numerosos imigrantes espanhóis e portugueses que habitavam a região. Em 1971 é fundada em São Paulo, Brasil, a Federação Internacional de Futebol de Salão (FIFUSA), composta por Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai.
No fim de 1985, e diante do crescimento exponencial do esporte, Joseph S. Blatter, na época Secretário Geral da FIFA, tomou a decisão, junto ao então Presidente da FIFA João Havelange, de incorporar o futebol de salão à grande família do futebol mundial.
Para isso, Blatter encarregou seu assistente, o chileno-espanhol Miguel Galán Torres, e o conselheiro de Havelange, o brasileiro José Bonetti, de dar andamento ao projeto. Na primeira reunião, ambos constataram que não existiam regras precisas para a modalidade, nem um campo de jogo ou bola específicos.
Em janeiro de 1986, Galán Torres e Bonetti colocaram mãos à obra. Tomando como base as Regras do Jogo de Futebol, eles fizeram as modificações necessárias devido às particularidades da modalidade. Decidiu-se que as medidas da quadra e dos gols de handebol eram ideais. Algumas idéias da FIFUSA também foram adaptadas, e até mesmo do hóquei no gelo. Após um longo trabalho de redação, as Regras provisórias foram criadas.
Mas, para saber se elas serviriam, era necessário testá-las. Aqui entrou em ação a figura de Pablo Porta Bussons, naquela época Presidente da Real Federação Espanhola de Futebol e membro do Comitê Executivo da FIFA. Foi Porta Bussons quem expôs e defendeu a necessidade de prová-las em campeonatos.
Com sinal verde para o projeto, Porta convenceu seu colega Gyorgy Szepezi, da Federação da Hungria, a organizar o primeiro desses testes. O torneio foi um sucesso e demonstrou que as Regras funcionavam. A seleção anfitriã sagrou-se campeã, e os demais participantes foram Bélgica, Holanda, Espanha, Peru, Brasil, Itália e Estados Unidos.
Dado o primeiro passo, em uma reunião na antiga sede da Real Federação Espanhola de Futebol em Madri que contou com a presença de representantes de diversos países, as Regras foram revisadas levando em consideração o que foi visto na Hungria. Nessa ocasião, a RFEF se candidatou para sediar o segundo teste. Aprovada a iniciativa, o certame foi disputado em La Coruña, El Ferrol e Santiago de Compostela, em fevereiro de 1987. A Espanha derrotou a Bélgica na final. Também competiram Brasil, Holanda, Estados Unidos, Portugal, Hungria e Itália.
Em setembro de 1987, Galán e Bonetti se propuseram a fazer uma terceira experiência na América do Sul, berço do futsal. O Brasil foi a sede, convidando as seleções de Chile, Peru, Argentina, Bélgica, Holanda, Portugal, Espanha, Estados Unidos e Paraguai. O campeonato aconteceu em Brasília e o Paraguai sagrou-se campeão. As regras haviam ultrapassado as expectativas e faltava somente a aprovação do Comitê Executivo.
Terminado o Brasil 1987, Galán se encontrou com Blatter e comunicou que sua tarefa estava concluída. Disse também que a única coisa que faltava era organizar um Campeonato Mundial para consolidar de fato essa modalidade de futebol. Com este objetivo em mente, Blatter apoiou a organização da primeira Copa do Mundo de Futsal da FIFA.
Galán deu início à busca pelo país anfitrião. O encarregado do futsal na Holanda, Tom Van der Hulst, garantiu que sua associação poderia organizar o evento. A Federação Holandesa apresentou sua candidatura e recebeu a aprovação do Comitê Executivo. O torneio aconteceu em janeiro de 1989, e as partidas foram jogadas em Amsterdã, s'Hertogenbosch, Arnhem, Leeuwarden, Utrecht e Roterdã, sede da final. O Brasil derrotou a Holanda por 2-1, consagrando-se como o primeiro campeão mundial de futsal.
O Brasil também ganhou as duas edições seguintes, Hong Kong 1992 e Espanha 1996. Entretanto, foram os espanhóis que destronaram os brasileiros na Guatemala 2000 e defenderam com sucesso a coroa quatro anos depois na China Taipei em 2004. A Copa do Mundo de Futsal é hoje o quarto torneio mais antigo da FIFA.
E o resto é história. O futsal é hoje uma bela realidade, sendo uma das disciplinas esportivas que mais cresceu nos últimos anos, com mais de dois milhões de jogadores federados (homens e mulheres) em todo o mundo. Seu crescimento é ilimitado e permite que o futebol cumpra sua missão social em todos os cantos do planeta